EXPORTAÇÃO
- 11/01/2022 -
TEMPO DE LEITURA: 7 MIN.

Perspectivas para o Comércio Internacional em 2022

Com a chegada do novo ano, as empresas que buscam oportunidades no comércio internacional em 2022 começam a observar o mercado e as pesquisas com o intuito de descobrir as perspectivas e projeções para este setor.

Conforme dados da Organização Mundial do Comércio (OMC), a previsão do crescimento do comércio internacional em 2022 é de 4%, ou seja, abaixo dos níveis pré-pandemia. Vale ressaltar que em 2021 o volume do comércio internacional teve expansão de 8%, após o tombo de 5,3% no ano anterior

Além disso, recentemente a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento afirmou que mesmo com o crescimento do comércio global e sua estabilização durante o segundo semestre de 2021, as perspectivas para o comércio internacional em 2022 são incertas. Continue a leitura e saiba mais!

Comércio Internacional 2022: Cenário favorável x incertezas

Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no mês de agosto ocorreu uma queda de -3,1% no volume de vendas do varejo. Foi identificado que, embora o setor esteja apresentando uma quantidade transacionada maior que antes da pandemia, esse número diz respeito aos produtos considerados essenciais, como itens de mercado, farmácias e medicamentos, bem como aqueles associados às mudanças de comportamento dos consumidores durante o lockdown (móveis e eletrodomésticos).

Outros segmentos que gradativamente estão melhorando são as vendas de automóveis, eventos e turismo, com tendência de maior desempenho dos setores de vestuários, calçados e acessórios. Porém, um fato acendeu um sinal de alerta no que diz respeito à capacidade de recuperação do setor de varejo no próximo ano: a redução das vendas no mês de agosto de 2021 depois de quatro meses positivos para o varejo em geral. 

Neste momento estamos vivenciando o pior momento da inflação doméstica, onde os choques nos preços devem começar a aliviar ou se dissipar somente no início do próximo ano, levando a inflação no IPCA encerrar 2022 abaixo de 6%.

Comércio internacional crescerá 4% em 2022

De acordo com a Organização Mundial do Comércio (OMC), a previsão do crescimento do comércio internacional em 2022 é de 4%, ainda abaixo dos níveis pré-pandemia. A instituição estima ainda que o Produto Interno Bruto (PIB) global avançará 3,8% no próximo ano. As projeções foram divulgadas recentemente pela própria OMC.

Ainda com base nas informações divulgadas pela Organização, as perspectivas de curto prazo são relativamente positivas. Todavia, a entidade acredita que o cenário será marcado por disparidades, em meio à desigualdade no ritmo de vacinação contra o coronavírus entre países mais e menos desenvolvidos

A diretora-geral da OMC, Ngozi Okonjo-Iweala, declarou que “A forte recuperação do comércio global desde meados do ano passado ajudou a suavizar o golpe da pandemia para pessoas, empresas e economias”. Acrescentou também que manter os mercados internacionais abertos será essencial para as economias se recuperarem desta crise, e se faz necessária uma distribuição rápida, global e equitativa de vacinas para a recuperação forte e sustentada que todos necessitam.

O Comércio Internacional de 2022 terá os mesmos desafios de 2021?

O cenário atual do comércio internacional deve refletir em 2022? Essa é a pergunta que todos estão fazendo no momento. A situação econômica mundial, as restrições causadas pela Covid-19, a falta de equipamentos, os gargalos e locais de alta demanda, segundo especialistas do setor, ainda estão longe do fim.

Ainda falando do momento atual, podemos dizer que 2021 foi um ano desafiador e de recuperação econômica para o comércio internacional, por razões óbvias. Sabemos que 2020 causou um fechamento das economias em grande parte do ano, fazendo com que 2021 se tornasse uma corrida para suprir o aumento gradativo da demanda e a redução da capacidade de oferta da logística mundial.

Todavia, um ano novo se aproxima, e junto com ele novos planejamentos, especialmente para aqueles que atuam diretamente nesta área e precisam lidar com as incertezas e mudanças rápidas ocasionadas por inúmeros fatores.

De acordo com a Associação de Comércio Exterior para o Brasil, as exportações brasileiras deverão sofrer uma queda de 4,7% no ano de 2022 em relação a 2021, já as importações podem crescer cerca de quatro e meio por cento. Assim, estima-se que o aumento das importações e queda das exportações vão provocar uma contribuição negativa do comércio internacional no cálculo do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país em 2022.

Os preços do petróleo e do minério de ferro, por exemplo, já estão caindo, e a expectativa para o ano que vem é que tenham uma redução de no mínimo dezoito e meio por cento. Juntos, soja, petróleo e minério de ferro deverão responder por mais de 30% das exportações totais, o que significa retração, se comparado ao estimado para 2021. 

A soja, inclusive, deverá ser o produto líder de pauta da exportação, com aproximadamente 45 bilhões de dólares, o que representará um novo recorde. Já as importações continuarão crescendo devido à falta de componentes, contêineres e navios, o que obrigará as empresas a comprarem no exterior.  

Este conteúdo foi relevante para você? Curta, comente e compartilhe! Acesse o blog da ShipSmart e encontre muitos outros conteúdos como este.